Entenda os impactos da Inteligência Artificial nas empresas

Tomaz Filho

É um erro comum achar que as tecnologias de Inteligência Artificial (IA) são adequadas apenas para grandes corporações. Acontece que, com o avanço gradual e a relação entre custo e benefício promovida, investir em inovação se tornou uma realidade possível para pequenas e médias empresas também.

De acordo com uma previsão da Gartner, 70% das organizações globais integrarão a IA em seus locais de trabalho até 2021 para aumentar a produtividade dos colaboradores. Ela também aponta que o número de empresas que adotam essa tecnologia cresceu 270% nos últimos 4 anos.

Neste post, entenda o conceito de IA e conheça a evolução da tecnologia ao longo de décadas, aplicações e benefícios para pequenas e médias empresas. Boa leitura!

Por dentro do conceito de Inteligência Artificial

Em termos simples, Inteligência Artificial é o entendimento de que as máquinas são capazes de interpretar, extrair e aprender com dados externos. Elas imitam práticas cognitivas por meio da aplicação de algoritmos incorporados em um ambiente de computação dinâmico. Ou seja, a IA faz os computadores “pensarem” como humanos.

O início da Inteligência Artificial curiosamente vem desde a Antiguidade, quando os filósofos da época pensavam sobre a possibilidade de que de seres artificiais ou homens mecânicos poderiam existir de alguma maneira.

Graças aos primeiros pensadores, isso começou a ser cada vez mais tangível ao longo dos anos 1700 e posteriormente. Isso porque eles adoravam imaginar como o pensamento poderia ser artificialmente mecanizado e manipulado por máquinas inteligentes.

Década de 1940

O interesse mais concreto pela IA teve início quando filósofos, matemáticos e lógicos clássicos consideraram a manipulação mecânica de símbolos, o que resultou na invenção de um computador digital programável na década de 40: o Atanasoff-Berry Computer (ABC).

Isso inspirou os cientistas a avançar com a criação de um “cérebro eletrônico” ou um ser artificialmente inteligente. Quase uma década se passou antes que os precursores da IA ​​ajudassem no entendimento do campo que temos hoje.

O matemático Alan Turing propôs, entre outras coisas, um teste que media a capacidade de uma máquina de replicar ações humanas a ponto de uma pessoa não saber se as ações do sistema eram feitas por uma máquina ou por um humano. 

Década de 1950

Alan Turing publicou o artigo “Computing Machinery and Intelligence”, que abordava a capacidade de uma máquina pensar. Mais tarde, a proposta se tornou o Teste de Turing, experimento que media a inteligência artificial da máquina. 

A partir daí, a cada nova década, surgiam inovações e descobertas que mudavam o conhecimento fundamental das pessoas sobre o campo da Inteligência Artificial. Os avanços históricos colocaram essa tecnologia como uma realidade possível para as gerações atuais e futuras.

Década de 1960

A criação de linguagens de programação, robôs, autômatos, estudos de pesquisa e filmes que retratavam seres artificialmente inteligentes aumentou em popularidade. Isso destacou fortemente a importância da IA ​​na segunda metade do século XX.

Em 1961, Unimate, um robô industrial inventado por George Devol na década de 1950, tornou-se o primeiro a trabalhar em uma linha de montagem da General Motors em Nova Jersey. Suas responsabilidades incluíam transportar peças fundidas da linha de montagem e soldar as peças nos carros — uma tarefa considerada perigosa para os seres humanos.

Joseph Weizenbaum, cientista da computação e professor, desenvolveu o ELIZA em 1965, um programa de computador interativo que poderia conversar funcionalmente em inglês com uma pessoa.

O objetivo de Weizenbaum era demonstrar como a comunicação entre uma mente artificialmente inteligente e uma mente humana era “superficial”, mas descobriu que muitas pessoas atribuíam características antropomórficas a ELIZA.

Década de 1970

O WABOT-1, o primeiro robô antropomórfico, foi construído na Universidade de Waseda, Japão. Suas características incluíam membros móveis, capacidade de ver e conversar.

Década de 1980

A Mercedes-Benz construiu e lançou uma van sem motorista equipada com câmeras e sensores sob a direção de Ernst Dickmanns. Foi capaz de dirigir até 55 mph em uma estrada sem outros obstáculos nem motoristas humanos.

Rollo Carpenter, programador e inventor de dois chatbots, Jabberwacky e Cleverbot (lançado na década de 1990), desenvolveu o Jabberwacky para “simular o bate-papo humano natural de uma maneira interessante, divertida e bem-humorada”. Este é um exemplo de IA através de um chatbot se comunicando com as pessoas.

Década de 1990

O cientista da computação Richard Wallace desenvolveu o chatbot ALICE (Entidade de Informática na Internet para Linguística Artificial), inspirado na ELIZA de Weizenbaum. O que diferenciou o ALICE do ELIZA foi a adição da coleta de dados de amostra em linguagem natural.

Em 1997, os cientistas da computação Sepp Hochreiter e Jürgen Schmidhuber criaram o Long Short-Term Memory (LSTM), um tipo de arquitetura de rede neural recorrente (RNN) usada para escrita e reconhecimento de fala.

No mesmo ano, Deep Blue, um computador de xadrez desenvolvido pela IBM, se tornou o primeiro sistema a vencer um jogo de xadrez e enfrentar um campeão do mundo.

Anos 2000

A partir de 2010, a IA praticamente foi incorporada em nossa existência cotidiana. Utilizamos smartphones com assistentes de voz, computadores com funções de inteligência, vídeo games que rastreiam o movimento do corpo, assistentes virtuais e uma série de softwares que agora são aproveitados para otimizar a gestão de pequenas e médias empresas. 

O uso da Inteligência Artificial em PMEs

Agora que você tem uma visão geral de como a IA ganhou espaço na sociedade, entenda as principais aplicações da tecnologia nas pequenas e médias empresas.

Varejo online

O setor varejista está se beneficiando com a venda online de produtos desde que o aprendizado foi introduzido na IA. A categorização de itens é um exemplo em que o sistema ajuda a colocar diferentes tipos de mercadorias nas respectivas sessões automaticamente.

Com a venda pela internet, é possível usar ferramentas para dar aos clientes uma ideia antecipada do produto que vão levar para casa. A tomada de decisão relacionada à compra está acontecendo por meio de pesquisas online e navegação por vários aplicativos.

Ou seja, as pequenas empresas estão colocando seus produtos nessas plataformas da mesma forma que as grandes marcas. 

Logística

Com a chegada da IA, ficou mais fácil entregar produtos sem nenhuma intervenção humana. Isso porque o sucesso do comércio eletrônico depende de uma logística impecável à medida que produtos e serviços são entregues aos clientes na porta de casa.

Para reduzir os custos de remessa e tornar o processo de envio mais rápido, é possível usar a IA para decidir sobre as melhores rotas. Os clientes adoram ser surpreendidos com entregas ágeis.

Planejamento da força de trabalho

O planejamento da força de trabalho é essencial para qualquer organização moderna. Envolve processos como recrutamento, retenção, desenvolvimento de funcionários, reimplementação, gerenciamento de desempenho e outros. 

As soluções Machine Learning e inteligência artificial juntas simplificam o processo significativamente e tornam o trabalho do setor de RH mais eficientes por meio do uso de dados. 

Suporte ao cliente

O papel da IA ​​mudou a maneira como os clientes são tratados atualmente, bem como a experiência de modo geral. Os chatbots são a nova revolução no suporte. Eles trouxeram muitas diferenças que os tornam a solução mais adequada no ambiente de atendimento. 

São capazes de fazer várias coisas ao mesmo tempo, como:

  • iniciar proativamente uma conversa com os clientes;
  • lidar com várias tarefas manuais;
  • solucionar problemas;
  • interagir com clientes em potencial por meio de dados essenciais;
  • ajudar um grande número de clientes sem precisar de presença humana;
  • envolver o cliente na linha de frente;
  • identificar problemas complexos.

Como você vê, os chatbots atendem a várias responsabilidades das quais as pequenas empresas podem se beneficiar. Além disso, o papel da IA ​​no serviço ao cliente também é inevitável, pois analisa dados e gerar insights poderosos que ajudam a personalizar a experiência do usuário e melhorar o nível de satisfação do público.

Benefícios de se incorporar a Inteligência Artificial 

Se você está curioso por saber mais sobre o valor das tecnologias de IA e a maneira como isso influenciará seus negócios no futuro, você chegou ao lugar certo.

Atendimento via chatbots

Quando se trata dos benefícios da Inteligência Artificial, os chatbots são a primeira coisa que vem à mente. Bots agora são usados ​​por várias empresas para se comunicar com os clientes e disponibilizar serviços 24 horas por dia, 7 dias por semana. 

Eles fornecem detalhes importantes e garantem que o cliente esteja envolvido. A IA conversacional pode ser desenvolvida para várias finalidades, como políticas de devolução, atendimento convencional, informações da empresa e muito mais. 

Recurso inteligente para a estratégia de marketing

Um dos mais significativos benefícios da Inteligência Artificial é o sistema de automação de marketing que coloca o aprendizado de máquina em prática para aprimorar o direcionamento do cliente, construir comunicações mais precisas e tirar conclusões de acordo com seus comportamentos. 

O marketing baseado em IA estimula a eficiência do marketing, direciona os esforços com foco no cliente certo. Assim, é possível gerenciar diversas atividades em diferentes canais, criar campanhas personalizadas e oferecer atendimento diferenciado.

Facilita o envolvimento do cliente

A plataforma de bate-papo automatizado permite que as PMEs dimensionem o envolvimento e a experiência do cliente, além de liberar os recursos necessários para interações mais críticas. Isso gera mais engajamento, aumenta a chance de obter receita e retenção. 

O software dá suporte para entender as necessidades dos clientes, determinar padrões de compra e aumentar a gama de serviços para oferecer recompensas e ofertas relevantes.

Além de responder às solicitações específicas usando um banco de dados de percepções, a Inteligência Artificial também organiza as consultas, fato que diminui o tempo de resposta e agiliza o atendimento.

Permite uma visão de mercado 

Conhecer bem os concorrentes é fundamental para reagir às tendências em constante mudança e permanecer competitivo. Para isso, existem ferramentas de análise competitiva que dão suporte para enfrentar o desafio. 

O software é capaz de rastrear os concorrentes de negócios em vários canais, como mídias sociais, sites e aplicativos da web e, assim, determinar atualizações de preços e mudanças sutis nas mensagens, bem como nas atividades de relações públicas. 

Quando combinado com poderosas métricas de negócios e processamento de linguagem natural, o recurso oferece às PMEs uma melhor visão da evolução contínua da estratégia das outras empresas.   

Reforça a segurança cibernética

Nas últimas décadas, as empresas, independentemente do tamanho, se depararam com invasões que afetaram dados de clientes e ameaçaram a segurança das informações. 

Com a IA e o aprendizado de máquina é possível detectar comportamentos estranhos, criar uma concentração em novas ameaças e identificar as vulnerabilidades da segurança antes que o problema aconteça. 

O algoritmo é capaz de ser impensável quando se trata de mineração, processamento e correlação de dados, uma vez que a máquina trabalha de maneira persistente.

A vantagem é que os números nunca estão errados. Sempre fazem o que foram programados para executar. As máquinas também podem gerenciar muitas fontes de informação e não apenas correlacionar, mas super-correlacionam informações sobre milhões, bilhões e até trilhões de eventos em um dia. 

4.6 Integra com CRM

A plataforma CRM (Customer Relationship Management) incorporada à IA leva o relacionamento e a integração com o cliente para o próximo nível. Essa abordagem fornece informações valiosas, além de automatizar o marketing e a geração de leads. 

Além de tudo, faz uma análise em tempo real para oferecer recomendações e previsões com base nos processos de negócios e dados dos consumidores. Por exemplo, avalia os sentimentos em postagens de mídia social, hashtags, e-mails etc. Também ajusta as atividades de geração e marketing de leads levando em conta o resultado da análise de dados.

4.7 Aumenta a produtividade

A Inteligência Artificial reduz o trabalho manual e aumenta a produtividade. Por exemplo, uma tarefa de etiquetar produtos quando realizada por humanos leva muito tempo. No entanto, ferramentas artificialmente inteligentes podem fazer isso sem muito esforço rapidamente.

Da mesma forma, a IA também otimiza as ações de marketing. As ferramentas ajudam a decidir o orçamento de marketing, produzindo todos os dados e apresentando algumas ideias. 

Os e-mails automatizados são acionados pela atividade do assinante. O algoritmo por trás desses gatilhos é a inteligência artificial que decide que tipo de email deve ser enviado para dar uma resposta adequada aos assinantes, analisando seu texto.

O processo de adaptação à Inteligência Artificial em PMEs

Quando você se familiarizar com o básico sobre o tema, o próximo passo para é começar a explorar ideias diferentes. Pense em como adicionar recursos de IA aos produtos e serviços existentes. 

Mais importante, sua empresa deve se preparar para casos de uso específicos nos quais essa tecnologia resolve problemas de negócios ou fornece valor demonstrável.

Em seguida, é bom avaliar o valor comercial e financeiro potencial das várias implementações possíveis que conseguiu identificar. É importante saber que há uma grande diferença entre o que você deseja realizar e a sua capacidade organizacional de alcançar isso dentro de um determinado período de tempo. 

Quando estiver pronto do ponto de vista estrutural e tecnológico, é hora de começar a construir e integrar. Comece a aplicar a IA a uma pequena amostra de seus dados, em vez de assumir um projeto grande. Lembre-se que ter o apoio de especialistas externos ou consultores é uma atitude inestimável.

Lembre-se: As pequenas e médias empresas que desejam alavancar a Inteligência Artificial serão poderosas o suficiente para obter os benefícios de uma série de competências operacionais e obter vantagem competitiva.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *