Por que os painéis solares flutuantes estão em alta?

Tomaz Filho

Os painéis solares fotovoltaicos flutuantes geram grandes quantidades de eletricidade sem ocupar um espaço valioso, segundo especialistas.

Essa tecnologia se espalhou na Ásia, mas não tanto nos Estados Unidos. O Japão tem mais de 60 instalações, a maior quantidade de qualquer país do mundo. A China afirma ser a maior matriz do mundo. 

Neste artigo, entenda como os painéis solares flutuantes funcionam, que benefícios oferecem e onde a tecnologia está sendo utilizada.

Como funcionam os painéis solares flutuantes?

Os painéis solares flutuantes utilizam a mesma tecnologia dos painéis que você coloca no telhado. A principal diferença é que são adaptados para caber em plataformas flutuantes, projetadas para instalação em lagos e pedreiras. 

Embora a tecnologia ainda não tenha evoluído a ponto de ser usada em oceano aberto, não podemos dizer o que acontecerá no futuro. Por enquanto, porém, os painéis solares flutuantes são uma grande nova tecnologia que promete mudar a maneira como vemos as energias renováveis.

A instalação no Japão entrou em operação em 2017, flutua sobre um lago artificial criado a partir de uma mina de carvão destruída perto da cidade de Huainan. 

Os 166.000 painéis produzem cerca de 40 megawatts, ou eletricidade suficiente para abastecer cerca de 15.000 residências. 

Uma instalação típica consiste em painéis solares em pontões amarrados ao fundo de um reservatório ou lagoa de retenção – considerada mais fácil de usar do que lagos.

Os cabos flutuantes ou subaquáticos conduzem a corrente contínua para um inversor na costa, onde é convertida em corrente alternada e enviada à rede local. 

Quais são os benefícios dos painéis solares flutuantes?

Eles funcionam melhor quando são resfriados. É por isso que, se você tiver dois sistemas idênticos, um na terra e outro na água, o outro na água terá um desempenho melhor. Dessa forma, países que não são conhecidos pelo clima tropical podem ser líderes em energia solar.

Outra vantagem dos painéis solares flutuantes é que eles podem proteger a água em que flutuam e reduzir a evaporação em até 70%.

Por exemplo, se um tanque de armazenamento de água de 3 acres fosse coberto com painéis solares, 4 milhões de galões de água são potencialmente salvos da evaporação a cada ano. 

Os painéis também são uma nova tecnologia inteligente porque são implantados em cidades e vilas sem muito espaço. Obviamente, um país como o Japão é um bom exemplo, pois está sempre lidando com falta de espaço.

No entanto, cidades de todo o mundo estão descobrindo que, quando não têm nenhum outro lugar para colocar painéis solares, podem sempre colocá-los na água.

Onde a tecnologia está sendo usada?

No momento, os japoneses possuem atualmente o maior sistema de energia solar flutuante do mundo. Os engenheiros afirmam que o sistema é muito durável e será capaz de resistir a rajadas de vento superiores a 160 km / h.

No entanto, o Japão não é o único país interessado nesta nova tecnologia. O Brasil anunciou recentemente que quer construir uma gigantesca fazenda de energia solar de 350 MW. 

Isso vai servir a dois propósitos para o Brasil. Primeiro, vai dar um grande impulso para a energia renovável. Em segundo lugar, vai desacelerar a evaporação. Isso é um grande negócio, já que o país está enfrentando uma grave escassez de água.

É provável que o método flutuante acabe se tornando muito popular em cidades como Nova York, Chicago e Los Angeles, que não têm muito espaço livre para trabalhar. 

Por enquanto, porém, os painéis solares para telhados são a escolha certa para quem deseja investir em energia verde. Eles são acessíveis, duráveis ​​e ajudam a economizar muito na conta de luz. Se você quiser saber mais sobre como instalar um sistema na sua empresa, entre em contato pelo WhatsApp.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Next Post

Como reduzir as emissões de carbono na indústria?

CompartilharTwittarCompartilharPinÀ medida que os níveis de dióxido de carbono (CO2) e outros gases do efeito estufa aumentam, mais calor é “aprisionado” na atmosfera terrestre e as temperaturas globais aumentam.  Isso causa mudanças significativas no tempo e na duração das estações. Muitas cidades estão se esforçando para reduzir as emissões de […]