Inteligência Artificial: aspectos que podem mudar o mundo para melhor ou pior

Tomaz Filho

Pare tudo o que estiver fazendo nesse momento e olhe à sua volta: todas as coisas ao seu redor poderão sofrer alterações jamais vistas. Algumas terão o desempenho melhorado e tempo de execução encurtado, enquanto outras sofrerão mutações genéticas elaboradas por máquinas pensantes e com nanotecnologia desenvolvida a partir de grandes laboratórios que já a possuem.

Bem-vindo ao mundo da Inteligência Artificial!

Este será o primeiro de cinco artigos onde mostraremos as vantagens e desvantagens dessa tecnologia que já invadiu o mundo.

Segundo o Dr. Kai-Fu Lee, Ph.D. e Bacharel em Ciência da Computação da Carnegie Mellon University: “A inteligência artificial vai mudar o mundo mais que qualquer coisa na história da humanidade, mais até que a eletricidade”.   

Um dos conceitos mais usados para definir a Inteligência artificial é “pense simples”, pois a partir de uma linha de raciocínio lógico e bastante eficaz as mudanças nessa área parecem ser muito promissoras.

Porém, alguns especialistas afirmam que, com o advento da inteligência artificial, milhares de pessoas ficarão desempregadas, esse talvez seja o preço mais alto que a humanidade terá à pagar por mais comodidade.

O Futuro da Inteligência Artificial

A inteligência artificial está impactando o futuro de virtualmente todos os setores e seres humanos. Ela atua como o principal impulsionador de tecnologias emergentes, como big data, robótica e IoT (O Internet of Things Ou Internet das Coisas – ), e continuará como um inovador tecnológico no futuro bastante previsível. Empregando aprendizado de máquina e visão computacional para detecção e classificação de vários “eventos de segurança”, um dispositivo do tamanho de uma caixa de sapatos não vê tudo, mas vê o suficiente. 

Por exemplo, a direção que o motorista está olhando enquanto dirige o veículo, a velocidade com que está dirigindo, onde está dirigindo, a localização das pessoas ao seu redor e como outros operadores de empilhadeira estão manobrando seus veículos. 

O software da IFM detecta automaticamente violações de segurança (como uso de telefone celular) e notifica os gerentes de depósito para que eles possam tomar as devidas medidas. 

Os principais objetivos são prevenir acidentes e aumentar a eficiência e também servem para inibir qualquer comportamento inadequado. Hoje em dia, por causa dos smartphones, os sensores de câmera e imagem se tornaram incrivelmente baratos, e com isso são capturadas milhões de  informações que somente a inteligência artificial é capaz de calcular todos os dados com precisão em frações de milésimos de segundos.

O mundo passou a ser monitorado por lentes poderosíssimas, a única diferença são os softwares que estão olhando para a imagem.

O futuro é agora: o impacto está em toda parte

Praticamente não existe uma grande IA moderna da indústria – mais especificamente, a “IA básica”, que executa funções objetivas usando modelos treinados por dados e muitas vezes alcança categorias de aprendizado profundo ou aprendizado de máquina.

Ou seja, com o passar do tempo, uma máquina específica vai se transformando com muito mais capacidade de desenvolver mecanismos para tomadas de decisões onde não necessariamente o homem faça parte. 

Isso é especialmente verdade nos últimos anos, conforme a coleta e análise de dados aumentam consideravelmente graças à conectividade IoT robusta, à proliferação de dispositivos conectados e ao processamento cada vez mais rápido do computador.

Os setores que já passam por transformações devido a IA

Alguns setores estão no início da jornada de IA, outros são viajantes veteranos. Ambos têm um longo caminho a percorrer. Independentemente disso, o impacto que a inteligência artificial tem em nossas vidas atuais é difícil de ignorar, como você pode conferir abaixo.

Transportes

Embora possa levar uma década ou mais para aperfeiçoá-los, os carros autônomos já estão a todo vapor nas unidades experimentais das fábricas chinesas e um dia nos transportarão de um lugar para outro.

Fabricação

Os robôs movidos por IA trabalham ao lado de humanos para realizar uma gama limitada de tarefas, como montagem e empilhamento, e os sensores de análise preditiva mantêm o equipamento funcionando sem problemas.

Saúde

No campo comparativamente nascente da IA da saúde, as doenças são diagnosticadas com mais rapidez e precisão, a descoberta de medicamentos é acelerada e simplificada, os assistentes de enfermagem virtuais monitoram os pacientes e a análise de big data ajuda a criar uma experiência mais personalizada para o paciente.

Educação

Os livros didáticos são digitalizados com a ajuda da IA, tutores virtuais em estágio inicial auxiliam os instrutores humanos e a análise facial mede as emoções dos alunos para ajudar a determinar quem está lutando ou entediado e adaptar melhor a experiência às suas necessidades individuais.

Mídia

O jornalismo também está aproveitando a IA e continuará a se beneficiar disso. A Bloomberg (https://www.bloomberg.com/) usa a tecnologia Cyborg para ajudar a compreender rapidamente relatórios financeiros complexos. 

A Associated Press (https://apnews.com/) emprega as habilidades de linguagem natural do Automated Insights (https://automatedinsights.com/ ) para produzir 3.700 reportagens lucrativas por ano – quase quatro vezes mais do que em um passado recente.

Atendimento ao cliente

Por último, mas não menos importante, o Google (https://www.google.com/ ) está trabalhando em um assistente de IA que pode fazer chamadas humanas para marcar consultas, digamos, no salão de cabeleireiro de sua vizinhança. Além de palavras, o sistema entende o contexto e as nuances.

Mas esses avanços e muitos outros, incluindo uma vasta  safra de novos são apenas o começo. Há muito mais por vir – mais do que qualquer pessoa, mesmo os prognosticadores mais prescientes podem imaginar.

Com as empresas gastando quase US $ 20 bilhões de dólares em produtos e serviços de IA anualmente, gigantes da tecnologia como Google, Apple, Microsoft e Amazon investindo bilhões para criar esses produtos e serviços, universidades tornando a IA uma parte mais proeminente de seus respectivos currículos (o MIT sozinho está financiando $ 1 bilhão de dólares em uma nova faculdade dedicada exclusivamente à computação, com foco em IA), e o Departamento de Defesa dos EUA aumentando seu acervo de IA, grandes coisas estão prestes a acontecer. Alguns desses projetos já saíram da prancheta e estão a caminho de serem plenamente realizados; alguns são meramente teóricos e podem permanecer assim. Todos são perturbadores, para melhor e potencialmente pior, e não há recessão à vista.

Durante uma palestra no outono passado na Northwestern University, o guru da IA, Kai-Fu Lee, defendeu a tecnologia da IA e seu impacto futuro, ao mesmo tempo em que observou seus efeitos colaterais e limitações. Sobre o primeiro, ele alertou:

“De 90 por cento, especialmente 50 por cento da base do mundo em termos de renda ou educação, serão gravemente prejudicados com o deslocamento do emprego … A pergunta simples a fazer é: Como esses trabalhadores irão sobreviver?’ Sendo que seus nichos serão substituídos pela IA, porque a IA pode, dentro da tarefa de rotina, aprender a se otimizar. E quanto mais quantitativo, mais objetivo é o trabalho – separar coisas em latas, lavar pratos, colher frutas e atender chamadas de atendimento ao cliente – essas são tarefas muito programadas que são repetitivas e rotineiras por natureza. Em questão de cinco, 10 ou 15 anos, eles serão substituídos por IA. ”

Nos armazéns da gigante online e potência da IA Amazon (https://www.amazon.com./), que lida com mais de 100.000 robôs, as funções de coleta e embalagem ainda são realizadas por humanos – mas isso vai mudar.

A opinião de Lee foi recentemente repetida pelo presidente da Infosys (https://www.infosys.com/), Mohit Joshi (https://www.bloomberg.com/profile/person/17864444), que na reunião de Davos deste ano disse ao New York Times: “As pessoas estão procurando alcançar números muito grandes. Anteriormente, eles tinham metas incrementais de 5 a 10 por cento na redução de sua força de trabalho. Agora eles estão dizendo: ‘Por que não podemos fazer isso com 1 por cento das pessoas que temos?’ ”

Retreinar e educar: facilitando as dores de crescimento de uma força de trabalho movida a IA

Em uma nota mais otimista, Lee enfatizou que a IA de hoje é inútil de duas maneiras significativas: ela não tem criatividade e nenhuma capacidade de compaixão ou amor. Em vez disso, é “uma ferramenta para amplificar a criatividade humana”.

Sua solução? Aqueles com empregos que envolvem tarefas repetitivas ou rotineiras devem aprender novas habilidades para não ficarem no esquecimento. A Amazon ainda oferece a seus funcionários dinheiro para treinamento para empregos em outras empresas.

“Um dos pré-requisitos absolutos para a IA ter sucesso em muitas áreas é que investimos especificamente em educação para recapacitar as pessoas para novos empregos”, diz Klara Nahrstedt, professora de ciência da computação da Universidade de Illinois em Urbana – Champaign e diretora do Laboratório Coordenado de Ciências da escola.

No futuro, se você não conhecer programação de computadores ou entender sobre softwares vai ficar muito mais difícil permanecer no ambiente de trabalho, pois a tendência é a renovação por IA, simples assim, mas antes dos dispositivos, máquinas e robôs existem pessoas e uma delas pode ser o trabalhador comum em funções de rotina, basta que os governos invistam em educação específica para essa área. 

E, embora muitos daqueles que são forçados a deixar o emprego por causa da tecnologia encontrem novos empregos, isso não acontecerá da noite para o dia. Tal como aconteceu com a transição da América de uma economia agrícola para uma economia industrial durante a Revolução Industrial, que desempenhou um grande papel na causa da Grande Depressão, as pessoas finalmente se recuperaram.

O impacto de curto prazo, no entanto, foi enorme. Nas décadas de 80 e 90 todos assistiam a filmes e desenhos que retratavam a evolução dos tempos e alguns deles pareciam prever a chegada da inteligência artificial, basta relembrar de Os Jetsons, este porém é considerado um dos mais futuristas, pois previa a chegada de naves espaciais com propulsão autônoma. Além de uma gama de robôs, verdadeiros serviçais que em alguns lares já estão presentes.

No nosso próximo artigo você conhecerá quais os rumos traçados para essa tecnologia que estão se tornando essenciais para a vida humana. Siga-nos no Facebook para receber todas as novidades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Next Post

Entenda os impactos da Inteligência Artificial nas empresas

CompartilharTwittarCompartilharPinÉ um erro comum achar que as tecnologias de Inteligência Artificial (IA) são adequadas apenas para grandes corporações. Acontece que, com o avanço gradual e a relação entre custo e benefício promovida, investir em inovação se tornou uma realidade possível para pequenas e médias empresas também. De acordo com uma […]