Edifícios sustentáveis

Tomaz Filho

No mundo, os edifícios são responsáveis ​​por aproximadamente 40% do consumo anual mundial de energia. A maior parte dessa energia é para o fornecimento de iluminação, aquecimento, resfriamento e ar condicionado. O aumento da conscientização sobre o impacto ambiental das emissões de CO2(Dióxido de carbono) e NOx (Dióxido de Ozoto) e dos CFCs (Cloro fluor carbono) desencadeou um interesse renovado em tecnologias de refrigeração e aquecimento ambientalmente corretas.

Metas e objetivos

Sob o Protocolo de Montreal de 1997, os governos de alguns países concordaram em eliminar gradualmente os produtos químicos usados e que são extremamente prejudiciais com potencial de destruir a camada de Ozônio. Então, foi considerado desejável e quase que uma meta reduzir o consumo de energia e diminuir o avanço do fim das reservas energéticas mundiais e a poluição do meio ambiente.

Alternativas que funcionam

Uma maneira de reduzir o consumo de energia desses prédios é realizar construções que sejam mais adequadas aos padrões de condutas corretas ao meio ambiente no uso de energia para aquecimento, iluminação, resfriamento, ventilação e fornecimento de água quente. Medidas simples, mas eficazes como ventilação natural ou híbrida, em vez do ar condicionado, podem reduzir consideravelmente o consumo de energia primária. No entanto, a exploração de energia renovável em edifícios e estufas agrícolas também pode contribuir significativamente para reduzir a dependência de combustíveis fósseis. Portanto, promover inovadoras aplicações renováveis ​​e reforçar o mercado de energia sustentável contribuirá para a preservação do ecossistema, reduzindo as emissões a nível local e global. Isso também contribuirá para a melhoria das condições ambientais, substituindo os combustíveis convencionais por energias renováveis ​​que não produzem poluição do ar ou gases de efeito estufa.

Conforto com sustentabilidade

A oferta de boa qualidade ambiental interna, ao mesmo tempo em que se alcança a energia e a operação econômica das plantas de aquecimento, ventilação e ar condicionado (HVAC) nos edifícios representa um problema de múltiplas variantes. O conforto dos ocupantes do edifício depende de muitos parâmetros ambientais, incluindo velocidade do ar, temperatura, umidade relativa e qualidade, além de iluminação e ruído.

Inovação com responsabilidade 

Uma das alternativas mais viáveis é começar a construir edifícios com projetos inovadores e adequados com as leis vigentes em cada nação para a diminuição dos gases poluentes com maior qualidade ambiental interna, eficiência energética e eficiência de custo.

Se quiser saber mais sobre esse tema e  assuntos relacionados ou dar sugestões envie  e-mail para contato@tmfacil.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Next Post

Resiliência e você

Como as pessoas lidam com eventos difíceis que mudam suas vidas? A morte de um ente querido, perda de emprego, doenças graves, ataques terroristas e outros acontecimentos traumáticos: todos esses são exemplos de experiências de vidas muito desafiadoras e que ocorrem quase que rotineiramente. A questão é como essa superação […]